Eu, vc e nosso amor
I'm tired of being on the outside
Você percebe que está apaixonado quando fica atualizando a dash sem nem olhar os posts, só esperando uma mensagem.
A gente briga, discute, discorda, mas mesmo assim eu gosto de você e você gosta de mim.
O timbre da sua voz acalma os batimentos do meu coração.
Me pergunte qualquer coisa! Mas não pare de falar comigo. E se o assunto acabar?! Então, quando o assunto acabar, pergunte se eu gosto de arroz! Assim eu saberei que você está tentando falar comigo, tentando me manter perto de você através das palavras.
O Vento do Oeste.  (via eternismo)
Eu agradeço a Deus todos os dias por ter me dado você de presente. Por fazer com que você fizesse parte da minha vida, que mudasse minha história de uma forma tão intensa, tão repentina e tão linda…
Romanceais.  (via romanceais)
Na historia que eu quero viver é seu nome que ta em toda linha
Rafael Muzzi (via f0rtalecido)
Se me perguntarem qual o sentimento que considero mais bonito ou mais importante, vou abrir um sorriso e dizer: O correspondido.
Martha Medeiros.  (via eternismo)
Falam que o tempo apaga tudo. Tempo não apaga, tempo adormece.
Rachel de Queiroz.        (via verbeais)
Nível de Forever Alonismo: ██████████████████████████ 101%
O amor tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
✌ O mal não me atinge, o nada não me abala ✌
E mesmo cansado da vida, você aguenta firme. Por algo, ou por alguém.
Queen.  (via motoshima)
Eu não odeio as pessoas. Eu me sinto melhor quando não estão por perto.
Charles Bukowski.   (via subtraido)
Me disseram que eu encontraria você num sonho bom, mas também disseram que eu nunca sentiria seu toque. Me disseram que para amar alguém teria que estar perto, mas também disseram que para o amor não existe barreiras. Quantas controvérsias quando se trata de algo tão claro. Amar é viver na loucura, é como dançar ballet na corda bamba. Amor é tão simples quanto o bater das asas de um beija-flor.
Charlie.  (via subtraido)
Eu costumava te contar das músicas de chico buarque como se você fosse entender alguma coisa daquela poesia toda pseudo-culta que eu carregava dentro de mim mas que não mostrava a ninguém. Eu me guardava o dia inteiro, triste, porque à noite, em nosso quarto, nós riríamos e cantaríamos músicas de elis regina e de tom jobim. E dizíamos que o amor entre nós dois iria ser eterno e que nada mudaria o fato incontestável de que precisávamos um do outro assim como nossos pulmões, cheios de cigarros, precisavam de um ar ameno de uma colina em algum interior de um país calminho calminho, como seu sorriso gigantesco ou a minha falta de atenção. Eu costumava tocar em seus cabelos enquanto você dormia só para ter a sensação de que você me pertencia de algum modo mesmo que só seu cabelo estivesse em minhas mãos naquele momento. Porque você não era meu nem eu era seu nem nós nos éramos. Tinha medo de perceber que o fracasso era um rei em nosso reino encantado e que, mais tarde, não restaria ninguém nas casas para contar sobre o que houve. O amor que eu carreguei o amor que você carregou o amor que nos carregamos. Eu costumava me sentir preso a você quando escrevia aqueles textos que você gostava de ler com os braços estendidos e uma risada tão sexy-cativante-adolescente, você me dizendo que eu levava jeito, talvez um caio fernando ou um drummond só que menos famoso. Só de lembrar eu choro. Porque eu te pertencia, eu te entregaria minha alma e deixaria que você voasse com ela para o tibet para o cazaquistão para algum lugar que eu não ousaria ir. Porque tenho medo de tudo que me rouba o fôlego pressão e coração. E você, você roubou-me os três, e depois foi embora levando tudo tudo. E resta isso tudo e mais trocentas palavras entaladas na garganta e que eu queria vomitar mas não dá. Eu te amo demais para condenar sua fuga sua memória irrevogável indescritível indestrutível. Eu carrego seus cabelos dentro de um livro que nós dois líamos no começo de um inverno eu carrego uma roupa sua, que eu roubei - porque não é só você que roubou coisas, sentimentos, pessoas - e está guardada dentro de um baú eu carrego sua sorte na minha mão, e a música de chico que fala sobre quem partiu ou morreu, e é como eu me sinto, dindi, e é como eu me sinto…
Igor Pires. (via subtraido)